Acompanhamento terapêutico da gestação

aromaterapia na gestação

Quem leu meu primeiro post, contando um pouco da minha história, sabe que além de aromaterapeuta eu também sou mãe da pequena Serena, tenho formação de doula e de educadora perinatal.

Aposto muito na importância do acompanhamento da gestação para além dos aspectos médicos vistos no pré-natal. É recomendada uma preparação que vai muito além do enxoval, e inclusive vai além de escolher um parto humanizado ou uma cesárea. A mulher deve também ter apoio no puerpério, fase em que passa por uma mudança muito brusca e uma adaptação, na maioria das vezes dolorosa, à seu novo papel de mãe. E isso acontece independente da gestação ter sido planejada ou não… passamos por uma transformação brusca e produnda, e é normal que esse processo seja dolorido.

Acredito no poder positivo da aromaterapia no apoio a esses períodos de ressignificação da vida da mulher e da família.

 

O que o bebê sente?

Desde o início da gestação o nosso bebê já sente o mundo ao seu redor. Mesmo que esse mundo seja uma grande bolha de líquido, ele escuta os sons lá de fora, ouve o coração da mãe e começa a formar suas conexões cerebrais e sentimentos. É desde a vida intra-uterina que o bebê registra em seu campo emocional suas primeiras impressões sobre o mundo, e isso ajuda a formar o perfil emocional que ele terá.

O que a mãe vive nesse período influencia diretamente a própria gestação, o bebê e o pós-parto. Só como um breve exemplo, bebês que as mães tiveram a gestação mais tranquila tendem a ser mais tranquilos, estresse e ansiedade na gestação influenciam na ocorrência de parto prematuro e depressão pós-parto. Existem pesquisas científicas que comprovam as relações entre o que o bebê vive dentro da barriga e o perfil emocional que ele apresenta quando criança.

Nós somos corpos de energia, e absorvemos tudo o que vivemos, mesmo aquele pequeno ser que vive dentro da barriga. As experiências que ele tem ficarão registradas na sua aura e influenciarão a sua forma de ser e viver. Como foi sua vida intra-útero, seu nascimento e seus primeiros dias são muito importantes na formação da criança e do adulto que esse bebê vai ser. Existem registros emocionais que vieram até das nossas vidas passadas, e se refletem na nossa forma de ser. Precisamos olhar pra isso e falar disso. Estamos num momento em que podemos nos conectar com uma nova energia de amor e de cuidado, passar isso aos nossos filhos, e assim contribuir para que a geração que criamos agora possa fazer um mundo melhor no nosso futuro.

Saiba mais sobre os primeiros 1.000 dias do bebê.

 

Conexão entre mãe e bebê

A conexão mãe-bebê pode e deve ser estimulada desde que a mãe descobre a gravidez. Os medos e preocupações da mãe devem ser ouvidos. É preciso revisitar a criança que essa mãe foi, sua relação com seus pais e família, principalmente com a sua mãe, identificar e processar traumas gravados em seu campo energético. Temos a forte e real tendência a repetir com nossos filhos a mesma vivência que nossos pais tiveram com a gente, passar de geração em geração as formas de tratamento, conexões e desconexões, repetir esses padrões.

Mas temos também a oportunidade de identificar esses processos de dor, caminhar na direção de cura e ser uma nova mãe, que não carrega consigo as vivências negativas das nossas gerações passadas. Temos a chance de iluminar a nossa sombra com amor e compaixão, quebrar esses padrões e traçar um novo amanhã. Sermos novos pais e novas famílias conectadas pelo amor e pelo respeito.

A conexão entre as mulheres e suas mães é ainda mais forte. O óvulo que gerou você já estava dentro da sua mãe quando ela ainda estava na barriga da sua avó. Isso traz para nós registros energéticos dos quais não temos consciência. A gestação nos resgata registros emocionais que remetem ao que a nossa mãe e avó passaram na gestação. Isso tudo é muito importante, essas questões se refletem no parto, no puerpério, na relação entre a mãe e o bebê, na forma como a mãe enxerga a gestação. Um olhar de cuidado com os aspectos emocionais, uma abordagem holística da gestação tem o potencial de trazer desfechos positivos para muitas situações no período de gestação, parto, pós-parto e amamentação.

 

Aromaterapia na gestação

Nesse sentido a aromaterapia atua em sua mais bela forma, removendo traumas e outros obstáculos energéticos, abrindo o coração pro amor incondicional. Relaxando e removendo o medo de se jogar no desconhecido, ajudando a processar de forma mais leve tantas mudanças profundas, radicais e permanentes. Existem algumas outras terapias que agem profundamente nessa reorganização e ressignificação do nosso campo energético, em breve falarei um pouco delas também. A aromaterapia atua de forma complementar com essas outras terapias energéticas e holísticas de forma muito potente.

 

Acompanhamento terapêutico

Uma mulher pode, deve e merece ser acompanhada por um terapeuta durante a gestação. E que isso seja feito da forma que a própria mulher escolher, com as terapias e terapeutas que mais lhe agradarem. Devemos sim nos informar sobre os diversos assuntos que envolvem a gestação, o nascimento e o puerpério, parto e amamentação, roupinhas e fraldas, quarto e enxoval, slings, exterogestação, criação com apego, maternidade ativa. Porque sim, a mulher também precisa de informação e de empoderamento para escolher seus caminhos de forma real e consciente, e para fazer valer suas escolhas.

Mas não podemos deixar de lado o campo emocional, energético e espiritual dessa mãe e desse bebê que está chegando ao mundo – é um momento único, sublime e de grande importância. Acredito fortemente nesse tipo de olhar para que possamos receber no mundo bebês e crianças cada vez mais livres de energias antigas e negativas, contribuindo para um mundo melhor, com mais pessoas conectadas entre si e com a natureza, com equilíbrio emocional e alegria de viver.

Existem diversas terapias que podem ser benéficas. Além da aromaterapia, você pode buscar as constelações familiares, o Theta Healing, a terapia floral e tantas outras. Aqui na Fulô você pode ter esse acompanhamento, se quiser entre em contato comigo.

 

Desejo que você tenha uma gestação aromática, mais leve e feliz! <3

 

 

Mari Moraes
Meu nome é Mariane Moraes, mas pode me chamar só de Mari. Tenho 37 anos e sou mãe da Serena. A algum tempo busco opções naturais para uma vida com mais saúde e bem estar, e quero compartilhar aqui com vocês algumas coisas legais que descobri nesse caminho. Tenho cursos e formações em aromaterapia, terapia floral, cosmética natural, ginecologia natural, doula, educadora perinatal. Também sou aprendiz de Theta Healing, estudo o sagrado feminino e a ginecologia natural. Fui produtora e gestora cultural por 12 anos. Sou pesquisadora e brincante das culturas populares tradicionais brasileiras. Feminista, sensível aos direitos humanos e das minorias. Contra qualquer discriminação ou discurso de ódio. A favor do acolhimento e da sororidade. Sempre buscando vibrar positividade e gratidão. Co-criadora e responsável pelos meus caminhos. Sou carioca, passei a minha infância em Miracema - interior do Estado do Rio, e hoje Moro em Macaé – RJ. Seja bem vind@!