Você sabe a diferença entre aromaterapia e aromatologia?

aromaterapia e aromatologia

Você sabe a diferença entre aromaterapia e aromatologia?

Já ouviu essas duas palavras? Será que são sinônimos?

São bastante antigas as pesquisas em química e farmácia acerca das propriedades terapêuticas dos óleos essenciais. Grandes nomes dentro da aromaterapia foram pioneiros, descobriram e difundiram seus conceitos, como Dr. Jean Valnet, Marguerite Maury e Robert Tisserand.

Existem duas principais linhas de estudo e prática da aromaterapia: a escola inglesa e a escola francesa.

 

Aromatologia – a linha francesa da aromaterapia

A França é o berço da perfumaria. O termo aromaterapia foi criado pelo químico francês Maurice René de Gattefossé, em 1937. Ele teve uma grave queimadura e, sendo já pesquisador dos efeitos da lavanda e de outros óleos essenciais, imediatamente tratou os ferimentos com óleo essencial puro de lavanda. A queimadura teve uma extraordinária recuperação. E a partir daí suas pesquisas sobre as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais para além da perfumaria se aprofundaram. Esse texto aqui conta mais sobre Gatefossé.

Já existiam antes indícios dos efeitos dos óleos essenciais nas questões psicológicas. Mas foi a partir de Gattefossé que se ampliou a visão sobre as inúmeras propriedades dos óleos essenciais também em questões físicas. Para isso, além do uso através do olfato, usam-se os óleos essenciais também aplicados na pele e através da ingestão. Saiba mais sobre isso no texto “A polêmica da ingestão de óleos essenciais”.

Isso se reflete no que é hoje entendido como aromatologia – a linha francesa da aromaterapia. Seus usos são mais amplos, com função de medicamentos. Para isso são necessários estudos mais aprofundados, conhecimentos sobre a química dos óleos essenciais, fisiologia, farmácia, interações medicamentosas, entre outros.

Inclusive na França as prescrições de óleos essenciais são feitas por médicos. A formação em aromaterapia é feita através de curso universitário, voltado para médicos e outros profissionais de saúde. E está ligada à fitoterapia e ao herbalismo, envolvendo o uso de outras substâncias de origem natural além dos óleos essenciais.

Se quiser saber mais como funciona a aromaterapia na França veja aqui esse artigo super legal da Vera Guedes.

 

Aromaterapia inglesa

No Reino Unido o crescimento da aromaterapia se deu através da estética, na década de 80. Com esse viés não foi desenvolvido o uso dos óleos essenciais como medicamentos, e a ingestão não é praticada. É o que pode ser chamado de soft aromaterapia, através de cremes, óleos de massagem e inalação. Essa aromaterapia “leve” tem resultados para a pele e na psicoaromaterapia. Uma prática que visa o bem estar, com uso somente externo sem nenhuma abordagem médica. Isso é conhecido como aromaterapia inglesa.

 

Os uso dos aromas enquanto ciência

Essas duas abordagens diferentes, na França e na Inglaterra, que fez a aromaterapia se dividir em duas vertentes. Por isso encontramos em pesquisas na internet informações tão diferentes umas das outras. As informações prestadas dependem de qual linha de formação o aromaterapeuta segue.

Então, para se diferenciar da vertente inglesa, na qual o uso dos óleos essenciais é reduzido em relação à amplitude de usos e efeitos que existem, chegou-se ao termo aromatologia.

Aroma – perfume, cheiro

Logos – ciência, estudo

Passou a designar essa abordagem científica, técnica e farmacológica do uso dos óleos essenciais.

 

Aromatologia no Brasil

Temos dentro da aromaterapia no Brasil uma forte atuação da empresa Laszlo e do Instituto Brasileiro de Aromatologia (IBRA), que tem por trás de todas as suas ações o cientista aromatólogo Fábian Laszlo, que possui um conhecimento amplo e profundo dos óleos essenciais e seus usos nos mais diversos tipos de tratamentos.

A Lazslo comercializa óleos essenciais e diversos outros produtos relacionados à aromatologia. A editora Laszlo começou recentemente a publicar importantes livros na área. O Instituto Laszlo realiza o Congresso Internacional de Aromatologia e o Congresso Internacional de Medicina Complementar Integrativa. E o IBRA oferece diversos e excelentes cursos de formação.

Se quiser saber mais acesse o site do IBRA.

 

E tem mais?

Tem sim! Existem outras “vertentes” ou campos de estudo, como a aromaterapia vibracional (que eu amo!), a psicoaromaterapia e o uso de óleos essenciais na cosmetologia natural. Ou seja, um universo bem grande, pra gente estudar, conhecer, se aprofundar, e usar os óleos essenciais com cada vez mais consciência e responsabilidade. Vamos juntos?

 

Mari Moraes
Meu nome é Mariane Moraes, mas pode me chamar só de Mari. Tenho 37 anos e sou mãe da Serena. A algum tempo busco opções naturais para uma vida com mais saúde e bem estar, e quero compartilhar aqui com vocês algumas coisas legais que descobri nesse caminho. Tenho cursos e formações em aromaterapia, terapia floral, cosmética natural, ginecologia natural, doula, educadora perinatal. Também sou aprendiz de Theta Healing, estudo o sagrado feminino e a ginecologia natural. Fui produtora e gestora cultural por 12 anos. Sou pesquisadora e brincante das culturas populares tradicionais brasileiras. Feminista, sensível aos direitos humanos e das minorias. Contra qualquer discriminação ou discurso de ódio. A favor do acolhimento e da sororidade. Sempre buscando vibrar positividade e gratidão. Co-criadora e responsável pelos meus caminhos. Sou carioca, passei a minha infância em Miracema - interior do Estado do Rio, e hoje Moro em Macaé – RJ. Seja bem vind@!