Aromaterapia na gestação, pode?

aromaterapia na gestação

Vamos falar um pouco sobre aromaterapia na gestação? Já ouvi muitos comentários que na gestação deve-se levar todos os óleos essenciais pra longe da gestante, porque eles são muito fortes e totalmente contra indicados. Se não houver conhecimento de como usá-los corretamente é melhor fazer isso mesmo. Porém a gestante estaria sendo privada de uma grande aliada nesse momento tão cheio de emoções.

Desde a confirmação da gravidez, com os dois tracinhos no teste de farmácia, tudo já começa a mudar no coração de quem vai receber um bebê no mundo. Saber que vamos carregar um novo ser na barriga, e depois ser responsável pela sua vida e crescimento, nos traz uma enxurrada de sentimentos, dos mais variados. Vamos desde a alegria e euforia, passando inevitavelmente pelo medo, ansiedade e nervosismo.

 

As emoções durante a gestação

São diversos os medos que cercam a gestação: será que vou dar conta – emocional, física e financeiramente? Será que serei uma boa mãe? Será que correrá tudo bem com a minha saúde e a do bebê? Como será o parto?

Algumas gestantes apresentam ainda outras questões caso tenham tido algum histórico negativo. Se já teve um aborto, se tem algum problema de saúde crônico, se a gravidez foi inesperada, se está sem suporte do pai do bebê ou da família, se está longe de pessoas que poderiam apoiá-la.

Pensar todos os dias nessas questões traz ansiedade. Um estudo realizado em São Paulo apontou que 70% das gestantes apresentam sintomas de ansiedade. É mesmo muito comum viver essa expectativa e medo. Porém não é nada legal, nem pra mamãe nem pro bebê. A ansiedade libera o hormônio do estresse (adrenocorticotrófico). Isso traz conseqüências para o desenvolvimento psicológico da criança, e também pode influenciar o parto prematuro. A cada mês o bebê passa por uma fase de desenvolvimento. Eventos que causem picos altos de estresse, nervosismo e ansiedade influenciam o que está se formando no bebê naquele momento.

 

Aromaterapia como suporte emocional à gestante

A aromaterapia é uma grande aliada para a mulher que espera um bebê. Como já vimos em outros textos aqui do blog, a aromaterapia tem ação efetiva e comprovada sobre as emoções, uma vez que os óleos essenciais agem diretamente no nosso cérebro, no sistema límbico, centro de controle do nosso campo emocional. Os aromas vão atuar positivamente na gestante diminuindo a tensão, e qualquer outro sintoma negativo, como medo, insegurança ou tristeza. E dessa forma acabará por atuar também no fortalecimento do vínculo mãe-bebê.

A gestante que escolher o suporte emocional da aromaterapia terá inúmeros benefícios. Além da ação direta dos óleos essenciais, o momento escolhido para usá-lo, seja através de inalação ou massagem, será uma ocasião especial, na qual ela estará cuidando de si mesmo e do bebê. Podem ser feitos junto à inalação exercícios de respiração que potencializam ainda mais a ação equilibradora e relaxante dos óleos essenciais.

É importante aproveitar para olhar as questões emocionais da gestação e da maternidade de forma consciente, buscando positivar tudo o que envolve esse processo tão lindo que nós mulheres vivemos. Nós sabemos bem que as emoções são as mais conturbadas e confusas. Ao mesmo tempo em que estamos muito felizes com a chegada do bebê, estamos tensas, nervosas e preocupadas com o inesperado que tudo isso significa. A aromaterapia nos auxilia para que possamos colocar tudo na balança, e não deixar as emoções negativas serem mais pesadas que as positivas.

 

Segurança

Porém devemos ter muita atenção e cuidado, pois o uso de óleos essenciais na gestação deve ser através da inalação, ou com uso tópico em diluição bem baixa. Existem ainda diversos óleos que são contra-indicados a gestantes, por terem componentes tóxicos que podem atravessar a barreira placentária. Faça o uso consciente, com óleos essenciais seguramente não tóxicos. Caso queira um tratamento mais específico consulte um aromaterapeuta.

Para uso em difusor pessoal ou de ambiente devem ser usadas de 2 a 5 gotas. E para uso tópico a diluição deve ser de 1% no máximo. A diluição de 1% significa usar de 20 a 22 gotas de óleo essencial em 100ml de óleo vegetal.

São contra indicados os óleos essenciais: cânfora, alecrim QT cânfora, tomilho, orégano, canela, anis estrelado, erva doce, funcho doce, sálvia esclaréia, lavanda spike, manjericão QT stragol, cravo, entre outros não muito comuns.

Deve ser evitado o uso de óleos essenciais no primeiro trimestre de gestação. Mas vale também lembrar que diversos cosméticos possuem componentes tóxicos que devem ser evitados durante a gestação, e não se fala nada sobre isso. Veremos esses cuidados em um futuro post sobre cosmética natural.

 

Dica de uso

A lavanda (Lavandula angustifolia) é um óleo essencial muito indicado e bastante seguro para uso durante a gestação. Os benefícios ansiolíticos da lavanda são amplamente comprovados. O nome lavanda vem de “lavare”, que significa lavar, limpar. Então sua ação é nesse sentido, ela limpa, purifica e apazigua as emoções. É equilibrante, calmante, sedativa e um potente ansiolítico. Resgata a criança interior no adulto. Promove alegria, sensação de liberdade e expansão. Além disso facilita o sono profundo e restaurador.

A única contra-indicação da lavanda é para pessoas que tem pressão baixa. Portanto se a gestante apresentar tonturas ou desmaios por pressão baixa não deve utilizá-la.

Atenção! Não utilizar a Lavanda Spike (Lavandula latifolia), pois contém cânfora.

Outra opção deliciosa é a rosa (Rosa damascena). É o óleo essencial com maior padrão vibratório. Traz segurança e sensação de capacidade de realização. Aumenta a autoconfiança, amor próprio e auto-estima. Estimula o amor incondicional, que vem do fundo do coração. Amolece o coração de quem se fechou para os sentimentos. Libera tensões e emoções negativas, como medo, carência, melancolia.

O óleo essencial de rosas possui preço elevado. Porém pode ser usada a sua diluição a 10%, que encontra-se no mercado brasileiro, alcançando excelentes resultados.

 

Aromaterapia, gestação e energia

São muitos os aspectos emocionais e energéticos a serem trabalhados nesse processo da mulher que vira mãe, e se perde, e na maioria das vezes tem grandes dificuldades de se reencontrar. O uso da aromaterapia na gestação também a prepara para um puerpério mais leve.

Existem muitos óleos essenciais que podem ser usados com segurança durante a gestação. A escolha de que óleos seriam mais adequados depende muito da história dessa mulher, dos sentimentos que ela vivenciou na sua infância, de sua relação com seus pais, em especial com sua mãe. Que traumas ela carrega, que emoções afloram durante a gestação. Isso é muito individual.

Os óleos essenciais atuam elevando o padrão vibratório de nosso corpo, contribuindo para a nossa saúde integral: corpo, mente e espírito. Mãe e bebê formam um campo energético só. Cuidando de si a mãe-gestante está ao mesmo tempo cuidando do bebê. Quando você está dando colo pro seu bebê, você também está dando colo, acolhendo e curando a sua criança interior. A maternidade é um momento de renascimento, e uma oportunidade muito potente de cura e ressignificação de nossas emoções. Reformular os traumas vividos e acumulados é também preparar uma “casa emocional” mais aconchegante para esse bebê que chega.

 

Saiba mais

Se quiser se aprofundar um pouco mais no tema aromaterapia na gestação, veja aqui esse artigo escrito pelo psicólogo e aromaterapeuta André Ferraz, publicado na 5ª edição do Jornal de Aromatologia Laszlo.

 

Mari Moraes
Meu nome é Mariane Moraes, mas pode me chamar só de Mari. Tenho 37 anos e sou mãe da Serena. A algum tempo busco opções naturais para uma vida com mais saúde e bem estar, e quero compartilhar aqui com vocês algumas coisas legais que descobri nesse caminho. Tenho cursos e formações em aromaterapia, terapia floral, cosmética natural, ginecologia natural, doula, educadora perinatal. Também sou aprendiz de Theta Healing, estudo o sagrado feminino e a ginecologia natural. Fui produtora e gestora cultural por 12 anos. Sou pesquisadora e brincante das culturas populares tradicionais brasileiras. Feminista, sensível aos direitos humanos e das minorias. Contra qualquer discriminação ou discurso de ódio. A favor do acolhimento e da sororidade. Sempre buscando vibrar positividade e gratidão. Co-criadora e responsável pelos meus caminhos. Sou carioca, passei a minha infância em Miracema - interior do Estado do Rio, e hoje Moro em Macaé – RJ. Seja bem vind@!