Aromaterapia no parto

aromaterapia no parto

O parto é um momento mágico e único, mas também de muita expectativa. A aromaterapia no parto é uma excelente ferramenta para alívio da dor, redução da tensão e ansiedade, e para criar um ambiente de acolhimento e conforto para mãe e bebê.

A mulher carregou por meses o bebê em seu útero, teve tantos cuidados e preparativos. E chegam as semanas finais da gestação, cheias de desconfortos e ansiedade. Está chegando a hora!

 

A preparação para o parto

Os preparativos para o grande dia são muitos. As pessoas que estarão envolvidas, o local do parto, a equipe médica. O mais importante é fazer com que a mulher se sinta confortável, amparada e segura. Tenha um doula se quiser e se puder. Prepare as pessoas que estarão com você. Faça seu plano de parto, imagine o trabalho de parto acontecendo e descreva como você gostaria de tudo fosse. Pesquisa sobre as fases do trabalho de parto. Se for planejado um parto hospitalar preveja em que momento e como você deseja ir para o hospital. Ajuste tudo que for possível para que tudo saia do jeito que você imagina.

Vivemos em um país com um cenário de violência obstétrica bem grave. É de grande importância que durante a gestação exista uma profunda busca de informações sobre as opções disponíveis em relação ao atendimento ao parto. Somente com esse estudo a gestante e família poderão escolher alternativas que estejam de acordo com os seus desejos. Existem diversos sites, blogs e páginas com assuntos importantes desse universo, grupos no Facebook que reúnem mulheres para trocas de experiências e informações, rodas presenciais de gestantes, cursos de preparação para o parto. Se envolva com os temas e prepare-se. Um mundo totalmente novo irá se abrir.

 

Preparando a aromaterapia no parto

E dentre as tantas coisas que devem ser preparadas, a aromaterapia é uma delas. É um recurso de alívio de dores e desconfortos emocionais de comprovada eficácia. Porém não deixa de ser uma intervenção, mesmo sendo natural o uso de óleos essenciais altera o que a parturiente irá sentir. E como toda intervenção deve ser escolhida previamente pela futura mamãe.

Os aromas que serão usados no dia do parto devem ser testados antes pela gestante. Alguns óleos essenciais podem ser maravilhosos para uma pessoa e não agradar a outra. É muito importante que sejam usados óleos essenciais que a mulher goste, que lhe tragam boas sensações. E isso é muito único, pois depende da memória olfativa de cada pessoa.

Esse teste prévio serve também para detectar alguma possível sensibilidade ou alergia.

 

Iluminando nossas sombras

Outro ponto importante é a ação energética dos óleos essenciais. O parto é um momento de renascimento, se vai aquela mulher que conhecemos e nasce uma mãe, uma nova pessoa. Nesse processo estaremos em contato com os registros emocionais que tivemos com as nossas mães, estarão expostas as nossas dores, medos, traumas. A aromaterapia atua ressignificando essas energias, sempre positivamente, ajudando a dissolver os bloqueios e abrir o campo emocional para que o trabalho de parto aconteça. Se estivermos livres de nossas amarras emocionais nosso corpo sabe agir, nos conectamos com a potência feminina ancestral que sabe parir, nos conectamos com o bebê que sabe nascer. Os óleos essenciais nos ajudam a iluminar nossas sombras, nos abrir para o amor universal e para o acolhimento incondicional do novo ser que chega.

 

O que a mulher em trabalho de parto está precisando?

Existem alguns óleos essenciais indicados para o momento do parto. Porém não existe uma recomendação única. É necessário observar bem o que a parturiente está precisando. Por exemplo, é bastante recomendada a lavanda, pois acalma, diminui a ansiedade e purifica as emoções. Porém se a parturiente estiver sem forças, desgastada, exausta por um trabalho de parto prolongado, a lavanda não é indicada. Seria melhor nesse caso o jasmim, pela ação estimulante.

Além do conforto emocional, a aromaterapia atua na sensação de dor, reduzindo o uso de analgésicos e pedidos de anestesia. Vale lembrar que o conforto emocional serve não somente para a mãe, mas também para o pai, acompanhantes e equipe. Afinal, os pais também ficam nervosos, né?

 

Alguns óleos indicados:

Para acalmar, diminuir o medo e a ansiedade: lavanda, olíbano e laranja.

Para ajudar a mulher a se conectar com o momento, proporcionar sensação de bem estar, relaxamento, segurança e acolhimento: jasmim e rosa.

Para alívio da dor: camomila romana e sálvia esclaréia. A sálvia esclaréia é contra indicado para gestantes e indicado para o parto.

Para acelerar as contrações: canela e gengibre. São “aquecedores”, aceleradores do metabolismo e também atuam na redução da sensação de dor. Devem ser usados na fase ativa, após 6 centímetros de dilatação. Tem indicação especial em casos de trabalho de parto prolongado ou parada de progressão.

Jasmim e sálvia esclaréia também ativam as contrações, podendo inclusive serem utilizados após o nascimento para auxiliar a expulsão da placenta. Assim como a canela e o gengibre, não devem ser utilizados ao mesmo tempo que a ocitocina sintética venosa.

 

Formas de uso

As formas de uso mais indicadas são a inalação, através de difusor de ambiente ou difusor pessoal, ou uso tópico, com diluição em óleo vegetal a 1%. A diluição a 1% é feita com 20 a 22 gotas de óleo essencial em 100ml de óleo vegetal. No caso do uso de mais de um óleo essencial deve ser considerado 20 a 22 gotas o total de gotas. Por exemplo 10 gotas de um óleo essencial mais 11 gotas de outro.

A aplicação através da massagem é extremamente benéfica. O toque alivia as dores, traz conforto e segurança. Melhora a circulação e tira a atenção focada somente na dor, criando outros pontos de atenção, gerando relaxamento. Podem ser massageadas costas, ombros, pescoço, e principalmente a região lombar.

Mas também pode ser que durante o trabalho de parto a mulher não esteja aberta ao toque, e isso a incomode. Então pode ser usado somente o difusor pessoal (colar), difusor ou spray de ambiente. A forma de uso também vai depender do ambiente escolhido. Em casa existe maior liberdade. Já dentro do hospital deve se observar as regras de conduta a serem seguidas.

Podem ser usadas também compressas mornas e escalda-pés. Não utilize os óleos essenciais puros, dissolva na água morna a formulação com os óleos essenciais diluídos em óleo vegetal.

 

Os aromas para o bebê em seu nascimento

Deve ser levado em consideração também que o uso da aromaterapia no parto não incide somente na mãe, mas também atinge o bebê. O bebê será recebido já tendo sua memória olfativa marcada por aromas acolhedores.

Caso o parto vá acontecer em banheira não se deve usar óleo essencial na água, pois isso pode irritar os olhos do bebê ao nascer.

 

Se quiser saber mais

Veja esse artigo do psicólogo e aromaterapeuta André Ferraz, onde são citados estudos científicos que comprovam a ação positiva dos óleos essenciais no parto.

 

Mari Moraes
Meu nome é Mariane Moraes, mas pode me chamar só de Mari. Tenho 37 anos e sou mãe da Serena. A algum tempo busco opções naturais para uma vida com mais saúde e bem estar, e quero compartilhar aqui com vocês algumas coisas legais que descobri nesse caminho. Tenho cursos e formações em aromaterapia, terapia floral, cosmética natural, ginecologia natural, doula, educadora perinatal. Também sou aprendiz de Theta Healing, estudo o sagrado feminino e a ginecologia natural. Fui produtora e gestora cultural por 12 anos. Sou pesquisadora e brincante das culturas populares tradicionais brasileiras. Feminista, sensível aos direitos humanos e das minorias. Contra qualquer discriminação ou discurso de ódio. A favor do acolhimento e da sororidade. Sempre buscando vibrar positividade e gratidão. Co-criadora e responsável pelos meus caminhos. Sou carioca, passei a minha infância em Miracema - interior do Estado do Rio, e hoje Moro em Macaé – RJ. Seja bem vind@!